(im)pulso
Seguir o Blogue

An impulse is stronger than reason.




posted : 1 de dezembro de 2012
title : I don't like this day
1 de dezembro de 2012 / 04:19
Vais encontrar um dia ou até vários, em que te perguntas: porque que não fiquei na cama o resto do dia? Aquele momento em que o calor dos teus lençóis te acalma mais que a tua música preferida. É tão estranho, não achas?
Vai ser daqueles dias que achas que o mundo está a conspirar contra ti e até os teus próprios impulsos ficam do contra. Eu falo, brinco, sorrio... Acho que apenas faz parte do hábito. Não o faço por vontade própria. Ou se calhar até faço. Não sei... Mas eu não sou má pessoa. Oh, mas sim, admito que magoei alguém. A minha mãe ensinou-me tudo que qualquer criança iria precisar para o futuro, apenas esqueceu-se de ensinar a pensar antes de falar. Mas, minha querida mãe, não te culpabilizo disso. Acho que faz parte da minha personalidade. Estarei certa?
Ai, certezas... Estão em falta na minha vida. Que coisa confusa! Mas estou aprender que a vida não é para ser compreendida. Chamem-lhe destino, que eu cá lhe chamo ironia. Porque é verdade, a minha vida funciona com a base na ironia, o destino já se fartou de mim e do meu coração complicado. Mas agora que escrevo tudo, posso ser sincera? Qualquer coisa ou pessoa se farta de mim. Ou talvez esteja exagerando. Oh, sei lá! Não sei o que digo, não sei o que penso, não sei o que quero. Sei que gosto dele. E agora? Agora apetece-me dormir durante mil anos. Não me recriminem, eu sei que sentir isso é algo mesmo mórbido.
É avassalador, não nego. Mas entrei em auto-destruição. O amor apenas tem servido para me congelar mais um pouco. E a minha imaginação fértil aliou-se a essa coisa ridícula que as pessoas fazem. Apaixonarem-se, não é? Sim, penso que isso que vocês fazem. Mas o que acontece, é que nem tudo depende de nós. É esse o nosso grande mal. (...)